Cuidar de Bebê

Caderneta de vacinação do bebê, dicas

Compartilhe esse artigo com seus amigos:

 

A vacinação infantil é extremamente importante para assegurar a saúde e o bem estar das crianças do nascimento ao decorrer de sua vida, sempre que necessária. Para que os pais não se atrapalhem na hora de levar seus filhos para vacinar, principalmente quando se tem mais de uma criança, assim como para ter um controle sobre as datas corretas e doses de aplicação, foi criada a caderneta de vacinação.

Visando combater ou prevenir possíveis doenças que ameaçam as crianças, devido a sua baixa imunidade, como por exemplo, meningite, pneumonia, diarreia, hepatite, entre outras, foram criadas no decorrer dos anos, diversos tipos de vacinas imunológicas, direcionadas a cada fase infantil, conforme o risco de contrair esta ou aquela enfermidade.

O calendário anual de vacinação é bem amplo e segue de modo geral as normas estabelecidas pelo Ministério da Saúde, já a carteirinha de vacinação é oferecida pelo médico responsável a partir da primeira vacina aplicada na criança e deve ser guardada por toda a vida.

Dicas para conservar melhor a caderneta de vacinação de seu filho

  • Informação importante aos pais, a carteira da vacinação é válida em todo o território nacional, ou seja, não é preciso uma por estado ou localidade.
  • No conteúdo da caderneta deve obrigatoriamente constar, o nome da vacina aplicada, data, lote, nome e assinatura do responsável pela aplicação.
  • A vacinação pode ser aplicada após a data recomendada, porém nunca antes.
  • Sempre que for ao pediatra, apresente a caderneta de vacinação de seu filho.
  • Leve seu filho para tomar a vacina em postos autorizados e qualificados, o governo fornece todas as doses necessárias em suas unidades de saúde.
  • Em caso de dúvida ou reações por parte da criança, os pais devem procurar imediatamente o especialista responsável.

Como são fabricadas as vacinas?

Toda vacina visa proteger e imunizar crianças e até adultos, combatendo vírus e/ou bactérias, a própria vacina é elaborado a partir do vírus contra a qual combate, através de inúmeras análises médicas, realizadas por estudiosos, que em alguns casos invertem a formulação destes vírus e/ou bactérias e aplicam novamente no paciente.

Calendário de Vacinação do Ministério da Saúde

IDADE VACINA DOSES DOENÇAS QUE IMUNIZA
Nascimento BCG-ID Dose única Formas graves de tuberculose
Hepatite B 1ª dose Hepatite B
Dois meses Vacina Pentavalente (DTP + Hib + HB) 1ª dose Difteria, tétano, coqueluche, meningite e outras infecções causadas pelo Haemophilus influenzae tipo b, Hepatite B.
VIP (vacina inativada contra pólio – injetável) 1ª dose Poliomielite (paralisia infantil)
VORH (Vacina Oral de Rotavírus Humano) 1ª dose Diarréia e desidratação causada por rotavírus
Vacina Pneumocócica 10 (conjugada) 1ª dose Pneumonia, otite, meningite e outras doenças causadas pelo Pneumococo.
Três meses Vacina Meningocócica C (conjugada) 1ª dose Doença invasiva causada por Neisseria meningitidisdo sorogrupo C
Quatro meses Vacina Pentavalente (DTP + Hib + HB)  2ª dose Difteria, tétano, coqueluche, meningite e outras infecções causadas pelo Haemophilus influenzae tipo b, Hepatite B
VIP (vacina inativada contra pólio – injetável) 2ª dose Poliomielite (paralisia infantil)
VORH (Vacina Oral de Rotavírus Humano) 2ª dose Diarréia e desidratação causada por rotavírus
Vacina Pneumocócica 10 (conjugada) 2ª dose Pneumonia, otite, meningite e outras doenças causadas pelo Pneumococo
Cinco meses Vacina Meningocócica C (conjugada) 2ª dose Doença invasiva causada por Neisseria meningitidisdo sorogrupo C
Seis meses Vacina Pentavalente (DTP + Hib + HB) 3ª dose Difteria, tétano, coqueluche, meningite e outras infecções causadas pelo Haemophilus influenzae tipo b, Hepatite B.
VOP (vacina oral contra pólio – gotas) 3ª dose Poliomielite (paralisia infantil)
Vacina Pneumocócica 10 (conjugada) 3ª dose Pneumonia, otite, meningite e outras doenças causadas pelo Pneumococo.
Nove meses Febre amarela Dose inicial Febre amarela (em áreas endêmicas)
Doze meses Vacina Tríplice Viral (SRC) 1ª dose Sarampo, rubéola e caxumba.
Vacina Pneumocócica 10 (conjugada) Reforço Pneumonia, otite, meningite e outras doenças causadas pelo Pneumococo.
Quinze meses Vacina Tríplice Bacteriana (DTP) 1º reforço Difteria, tétano e coqueluche.
VOP (vacina oral contra pólio – gotas) Reforço Poliomielite (paralisia infantil)
Vacina Meningocócica C (conjugada) Reforço Doença invasiva causada por Neisseria meningitidisdo sorogrupo C
Quatro anos Vacina Tríplice Bacteriana (DTP) 2º reforço Difteria, tétano e coqueluche.
Vacina Tríplice Viral (SRC) 2ª dose Sarampo, rubéola e caxumba.

 

Para maiores informações sobre as determinadas vacinas apresentadas ou sobre localidades de vacinação, ligue: DISQUE SAÚDE 136 - Ouvidoria Geral do SUS (Ministério da Saúde)

Artigos Relacionados:

Como evitar assaduras no bebê
Teste da orelhinha, como funciona
Como saber o peso ideal para idade do bebê

Envie seu comentário
Nome:
Email:
Website (opcional):
Mensagem: